História

No dia três de junho de 1989, um grupo de alunos da Escola Técnica Hermann Hering – ETHH – reuniu-se na sede do Grêmio Estudantil para deliberar sobre uma atitude que mudaria definitivamente a história da entidade; a criação da Cooperativa dos Alunos da Escola Técnica Hermann Hering – Cooperhermann.

A iniciativa de fundar uma cooperativa originou-se da necessidade de melhorar a qualidade de ensino e atualizar os equipamentos dos laboratórios e quadro docente. Todos lembram como foi difícil para a educação brasileira a década de 80. Greves e paralisações muitas vezes causando a perda completa do ano letivo. O corpo docente qualificado e especializado estava abandonando a educação para trabalhar na indústria onde o salário era muito mais atraente. O governo brasileiro apregava educação gratuita até o segundo grau, no entanto, esquece-se de que alguém deveria pagar os custos de manutenção das escolas e a remuneração de professores e funcionários.Diante de um repasse de verbas cada vez menor, um corpo docente formado por profissionais frustrados e uma folha de pagamento com salários risíveis, o sistema educacional encontrava-se num estado decadente e caótico.

Diante da falta de perspectivas e observando o funcionamento das escolas agrícolas que funcionam em sistema de cooperativismo, surgiu a idéia de criar-se cooperativas nas escolas que pertenciam à FESC – Fundação Educacional de Santa Catarina. Iniciou-se então um processo de esclarecimento e orientação à comunidade escolar no sentido de incentivar e apoiar aquelas que tivessem interesse em criar suas cooperativas. Havia sido dado o primeiro passo para a criação da Cooperativa dos Alunos da Escola Técnica Hermann Hering.

No dia três de junho de 1989, com a participação de representantes da OCESC (Organização das Cooperativas de Santa Catarina), FESC, direção da Escola Técnica Hermann Hering e trinta alunos do estabelecimento, às 10:00 horas, estabeleceu-se uma Assembléia Geral com a intenção de deliberar e constituir uma cooperativa cuja finalidade maior seria melhorar a qualidade do ensino na ETHH, seja através do investimento em material didático ou em material humano. Após leitura e aprovação do estatuto, com 36 (trinta e seis) votos a favor, estava constituída a Cooperativa de Alunos da Escola Técnica Hermann Hering tendo sido eleito como seu primeiro presidente o aluno Dionísio L. Lobo. A história da ETHH tomava um novo rumo.

Com a criação da cooperativa os alunos passaram a contribuir mensalmente com um valor definido em assembléia. Esta contribuição, administrada pela cooperativa, é hoje responsável pela manutenção dos laboratórios de eletrônica, eletrotécnica, mecânica, eletromecânica informática, manutenção da Escola em geral, bem como, aquisição de materiais de consumo, treinamento de professores, e o que é mais importante, contratação, quando necessário, ou complementação do salário de professores que, de outra forma, teriam abandonado a educação para trabalhar na indústria. Não há finalidade lucrativa nas atividades da cooperativa. Toda a receita é reinvestida no próprio estabelecimento. Isso contribui para que a escola se fortaleça cada vez mais. Numa cooperativa, quando todos trabalham com o mesmo objetivo, todos são beneficiados por igual e o sistema só tende a crescer.